Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Como o mundo é pequeno!

Imagens e notas de sítios por onde passei

Como o mundo é pequeno!

Imagens e notas de sítios por onde passei

Desde 1998 que esta praça central da capital belga é património da Unesco. O edifício mais famoso da Grand Place é a Câmara Municipal, construído no século 14. Os restantes edifícios, da Renascença flamenga, foram construídos com o dinheiro das guildas dos comerciantes, ao longo do século 17.
A 30 km de S. Petersburgo fica esta espécie de Versalhes russa, residência de Pedro, dito O Grande, construída entre 1714 e 1725, mesmo à beira do Golfo da Finlândia. As fontes são numerosas e todas espectaculares, sobretudo depois de sabermos que a água sai em jorros, apenas graças à inércia, já que não existiam (nem existem) motores que as façam jorrar.  
Com 550 km2, este lago está a 700 metros de altitude e a sua profundidade pode atingir os 450 metros. Nas suas margens, foi fundada, em 1895, a cidade de San Carlos de Bariloche - famosa por ser uma estância de ski que faz lembrar algumas situadas nos Alpes. Quando visitámos Bariloche, não pudemos navegar no Lago Nahuel Huapi devido ao vento forte que tornava a navegação perigosa.
O Muro de Berlim, construído em 1961, dividia as duas Alemanhas e, acabava por ser o símbolo da divisão entre o capitalismo e o comunismo. A cidade de Berlim ficou, assim, dividida em duas. Do muro faziam parte 66,5 km de gradeamento metálico, 302 torres de observação, 127 redes metálicas electrificadas com alarme e 255 pistas de corrida para ferozes cães de guarda. Em 1989, o Muro foi destruído, mas mantêm.se alguns troços, que viraram arte urbana, como esta pintura do (...)
Entre 1947 e 1953, Estaline mandou construir as chamadas Sete Irmãs - sete arranha-céus em estilo gótico-soviético (seja lá o que isso for). Nesses tempos, eram os edifícios mais altos da Europa. Recorde-se que os primeiros foram construídos durante a Segunda Grande Guerra. Do alto da colina que domina Moscovo, conseguimos ver cinco destes edifícios.
A Amazónia, perto da cidade peruana de Iquitos, é tão luxuriante como a brasileira. Na foto, as gigantescas Victorias Reginas (ou amazónicas), os maiores nenúfares do mundo.